Cabala

Interdependência: união entre duas meias almas

9 de setembro de 2015

A Luz do Criador é a fonte de tudo o que existe, de todo prazer e de toda alegria. O propósito da vida é obter uma unificação com a Luz do Criador. Nunca podemos nos esquecer de que o objetivo da vida é nos aproximarmos de Deus.
Dentro desse contexto entra o casamento. Rav Berg dizia que o casamento é uma relação de interdependência. Quer dizer, não é dependência. Você não pode depender do outro para ser feliz. Você precisa alcançar sua felicidade independente do outro.
Mas também não é independência. Antes do casamento somos um ponto solto no universo. Somos uma “meia alma” solta pela vida. No casamento as duas meias almas se unem e se tornam uma única alma. Passam a caminhar juntas com o intuito de se ajudarem mutuamente no trabalho de evoluir em direção à Luz do Criador e a um verdadeiro amor e união. Essa união nem sempre é fácil. Há prazeres, porém acompanhados por desafios. Às vezes o outro é como um pássaro leve que voa e te leva junto para cima. Os dois cantam e voam afinados. Porém, o outro pode se tornar um peso. Nessas horas é preciso ter paciência. Lembre-se que vai chegar o momento em que você será o peso e que o outro precisará ser paciente.
O amor se constrói com o tempo. O certo é o amor aumentar com o passar do tempo, e não diminuir. À medida que o casal vai se conhecendo melhor, que vão se esforçando e investindo energia na relação, o certo é a união aumentar. Os cabalistas usam a numerologia para entender segredos do universo. As palavras amor e um em hebraico têm o mesmo valor numérico. Isso nos ensina que quem ama de verdade se torna um com o outro, se preocupa com o bem-estar do outro no mesmo nível em que se ocupa com seu próprio. Esse nível de amor incondicional, que dá de si para o outro, é natural que os pais sintam pelos filhos, mas não vem naturalmente numa relação de casal. É esse tipo de amor que devemos ter como meta construir numa relação.

185_Cabala

© Joyce Pascowitch 2013