Rio

Rio de Janeiro

12 de julho de 2013

A arte nacional e internacional em foco, um papo com o novo morador da cidade e Copacabana para pets

MOLDURA 

Entre 5 e 8 de setembro, o Píer Mauá será tomado pelo que há de melhor na arte do Brasil e do mundo na 4ª edição da ArtRio. Galerias como Gagosian e Marian Goodman, de Nova York, White Cube, de Londres, Société, de Berlim, e Monica De Cardenas, de Milão, irão se misturar às paulistanas Fortes Vilaça, Luisa Strina e Zipper, à mineira Lemos de Sá e à gaúcha Bolsa de Arte. As cariocas também têm espaço no evento. A curadora de arte Vanda Klabin elencou três spots made in Rio que valem a visita. +artrio.art.br

Anita Schwartz, na Gávea: “Tem espaço generoso e faz um trabalho importante junto aos artistas brasileiros”. +anitaschwartz.com.br

Athena Galeria de Arte, em Copacabana: “Com dois anos de atuação, tem artistas de gerações antigas”. +athenagaleriadearte.com

A Gentil Carioca, no centro: “A galeria aponta novos horizontes da arte contemporânea”. +agentilcarioca.com.br

PATINHAS À BEIRA-MAR

De frente para a praia de Copacabana, o Hotel Miramar, que ficou quase dois anos fechado para reformas, reabriu há pouco sob a bandeira da rede Windsor. E trouxe novidades. Além da repaginada nos apartamentos, dos mimos L’Occitane e do restaurante gourmet Eça, o hotel agora tem um Pet Service, para gatos e cachorros de até 5 quilos. O atendimento inclui caminha, potinhos de água e alimentos, biscoito personalizado, xampu e condicionador da linha Granado Pet, além de ecopack com saquinhos para a higiene dos animais. E mais: o concierge também tem indicações de dog walkers e clínicas veterinárias na região. +windsorhoteis.com.br

CARIOCANDO…
por Xico Sá
O escritor e cronista, que está passando, pela primeira vez, um tempo indeterminado na cidade, revela seu dia perfeito

“O café da manhã com a melhor vista do mundo é no Forte de Copacabana. Melhor forma de dizer ‘bom-dia, Rio’. Depois você vai ali no vizinho Arpoador, uma caminhada para reflexões e delírios mentais. Almoço? Em vez da tal da gastronomia moderninha, prefira o velhíssimo menu das adegas, como a Cesare e a Pérola. À tarde, um passeio no Rio de Machado de Assis, do Catete à rua do Ouvidor, um roteiro para folhear raridade nos sebos de livros, entre um café e outro. Para anoitecer, bar Urca. Para abrir os trabalhos, Cobal do Humaitá. O próximo passo: Baixo Gávea. Quando fechar, siga a sinalização do óbvio e bom, vá até o Baixo Leblon.”

© Joyce Pascowitch 2013